Feeds:
Posts
Comentários

Archive for maio \24\UTC 2009

Mosca

Em boca fechada
não entra
nem pau nem nada.

Read Full Post »

Provação

Tento escapar das redes
que  joguei no meu mar.

Mas minha mãe, Yemanjá,
vive tirando onda de mim.

Read Full Post »

Sto Pecado - Analu Andrigueti e Samir Mesquita - Foto Eduardo Muylaert

Caros leitores (conhecidos, desconhecidos, fiéis ou marinheiros de primeira viagem),

Antes tarde do que nunca. Tarda mas não falha. Santo de casa não faz milagre. Casa de ferreiro, espeto de pau. E outros tantos ditados muito bem aplicados a mim.

Faltou tempo, energia, organização e “priorização”. Não consegui postar aqui um texto decente (ou indecente) sobre o lançamento da coleção “Palavras Íntimas”, com poemínimos meus e microcontos do Samir Mesquita estampados nas calcinhas genialmente criadas por Flavia Prupest, fotografadas por Eduardo Muylaert e emolduradas pela Cia de Montagem. Ufa! Quanta gente!

Foi um projeto que nasceu numa conversa de bar, na Mercearia, e virou verdade. Coisa rara no mundo dos artistas que viajam em boas ideias e se perdem na poeira da realidade.

Ontem foi um grande dia. Quer dizer, uma grande noite. Calma, calma. As calcinhas estavam nos cabides, nas fotos, nas paredes, nas mãos das mulheres e dos homens. E que, a partir de hoje, muitas meninas usem “Palavras íntimas” lá.

No fim do post, mando a lista das lojas onde comprar as calcinhas. Minhas preferidas (as minhas são vermelhas com rosa e a “do Samir”, brancas com lilás):

Leve_Sto Pecado_calcinhas Palavras Intimas_Foto divulgacao

Aqui vai o poema que está na parede do Ateliê das Três (Cel. Joaquim Ferreira Lobo, 350, Vila Olímpia), onde foi o lançamento. Para ver mais fotos, passeie no blog da Sto Pecado

Palavras íntimas

Palavras íntimas
não têm letras,
apenas cores e curvas
e cheiro de banho quente
a dois.

Palavras mudas,
sussuradas,
aladas e exaustas,
ecoam no vácuo
sem tempo nem espaço.

São ditas com urgência
ou lentamente
cozidas e flambadas.

Cuidado para não queimá-las!
Custam caro essas palavras
feitas de quase nada,
levemente alinhavadas
ao vento.

Ornamentadas com tules, sedas e rendas
ou fantasiadas de paetê,
podem ser desprovidas de sentido
mas nunca de sentimentos.

Palavras íntimas
podem ser
simplesmente
despidas.

 ONDE COMPRAR:

Ateliê das Três
11 3044 1785
Rua Cel. Ferreira Lobo, 350, Vila Olímpia

 

Casa Mauro Freire
11 3061 5274
Al. Jaú, 1.580, Jardins

Corsetto
11 3721 0206
Rua Regente Leon Kaniefsky, 483, Jardim Guedala

Patsy
11 3842 0571
Rua Afonso Braz, 375, Vila Nova Conceição

Violeta Underwear
11 4702 0247
Rua José Felix de Oliveira, 991 – Pátio Viana I – loja 8
Granja Viana

Vendas online
www.khoris.com

Read Full Post »

Gosto duvidoso

Sempre me atraco
com homem baixo,
corpulento,
atarracado

Que me come de pé,
encoxando na parede,
ou de costas no chuveiro,
contra as torneiras.

Fujo dos altos e magros!
Na minha cabeça,
eles são donos
de pintos finos.

Read Full Post »

Vagalumes

Abaixo os homens pisca-pisca!
Aqueles que aparecem e somem,
aparecem e somem,
aparecem e somem

até que desaparecem de vez
sem deixar pistas.

Read Full Post »